Luxação da Patela

Luxação da patela

Entenda a Luxação de Patela

A patela, popularmente conhecida como rótula, é um osso com formato triangular que fica na frente do joelho e se articula com o fêmur formando a articulação patelofemoral. Ela tem como função melhorar o movimento de flexo-extensão do membro e proteger as estruturas internas.

A luxação da patela é uma situação que pode acometer a região do joelho. Uma luxação é consequência do deslocamento da patela, retirando-a da sua posição normal, ou seja, a patela “sai do lugar”. Esse tipo de lesão é decorrente de algum entorse (torção) do joelho ou trauma que leva ao rompimento do ligamento patelofemoral medial, um dos principais estabilizadores da patela. Alguns pacientes possuem fatores de risco que predispõe o aparecimento desse problema como alterações ósseas, distúrbios musculares ou desalinhamentos, por exemplo o joelho valgo ou “joelho em X” – em que os joelhos ficam voltados para dentro e os pés para fora. Como na luxação de patela, a patela sai do seu lugar normal sobre o fêmur, essa situação também é denominada instabilidade patelofemoral.

É importante ressaltar que após todo e qualquer entrose ou torção do joelho, um ortopedista especializado deve ser consultado o mais rápido possível para afastar lesões mais graves associadas.

-O que sente o paciente com luxação de patela ou instabilidade  patelofemoral?

O paciente que sofre uma luxação da patela sente dor, tem inchaço do joelho, dificuldade de andar, sensação de insegurança no joelho e pode ter a presença de sangue na articulação. De modo geral, a patela luxada volta ao lugar sem problemas, porém, após o primeiro episódio, ela fica predisponente a sofrer novas luxações. A luxação pode ocorrer novamente, principalmente se não for realizado o tratamento adequado. Quando o paciente apresenta episódios de repetição de luxação da patela, ou seja, a patela sai do lugar mais de uma vez, este problema passa a se chamar luxação recidivante da patela ou instabilidade patelofemoral crônica, sendo necessário avaliar qual o melhor tratamento para cada paciente, visto que todos os fatores predisponentes devem ser analisados e abordados quando necessário. Vale ressaltar que em determinadas situações, o tratamento cirúrgico já pode ter indicação no primeiro episódio.

Como avaliar a luxação de  patela?

No consultório, o diagnóstico da luxação é clínico, feito pela história e exame físico sendo complementado com exames de raio X, ressonância magnética e em alguns casos tomografia computadorizada para que o ortopedista possa estudar as estruturas articulares e os fatores predisponentes de cada paciente.

Qual o tratamento da luxação de  patela?

O tratamento inicial para luxação da patela visa recolocá-la no lugar e depois imobilizar temporariamente a área, mantendo a perna esticada e protegendo o joelho com um imobilizador e muletas quando necessário. Após essa fase o paciente é encaminhado para reforço da musculatura do joelho, assim como outros músculos, visando garantir a estabilidade e segurança do joelho, bem como a melhora da dor. Como a patela pode ser muito sobrecarregada com exercícios que prejudicam sua cartilagem, é importante a orientação da maneira correta de como realizar esse fortalecimento para evitar a sobrecarga da cartilagem. Se esse tratamento não surte efeito, o ortopedista avalia a possibilidade de uma cirurgia.

Quando necessária, a operação é realizada por meio de técnicas minimamente invasivas e artroscopia (técnica que utiliza diminuta câmera de vídeo introduzida por um pequeno furo com incisão de 0.5cm -meio centímetro- para observar toda a parte interna do joelho evitando a necessidade de uma grande incisão para “abri-lo” e visualizar o procedimento). A esse processo são agregados procedimentos e condutas modernos e inovadores que contribuem para a melhor e mais rápida recuperação do paciente, diminuindo a dor e desconforto após a cirurgia, otimizando os resultados. Para isso, o cirurgião deve se manter sempre atualizado a fim de oferecer os melhores recursos a seus pacientes.

De maneira geral, os pacientes submetidos ao tratamento e reabilitação adequados apresentam bons resultados voltando a ter um joelho estável e podendo retornar à prática de suas atividades normais, incluindo as atividades esportivas.

-Como prevenir a luxação de  patela?
Sobre a prevenção, é orientado manter a musculatura do joelho fortalecida, especialmente entre os pacientes considerados de risco para o problema.