Osteotomias

Osteotomias
O que é  osteotomia?
Osteotomia é uma cirurgia que corrige um mau-alinhamento dos membros inferiores (joelhos para dentro “em X” – joelho valgo, ou joelhos para fora “em ferradura” – joelho varo, podendo o mau-alinhamento ser de um ou ambos os joelhos) resultante de uma deformidade óssea causada por fratura, artrose, desgaste ou anomalias congênitas ou adquiridas. A osteotomia pode ser realizada tanto no fêmur (osso da coxa) como na tíbia (osso da perna). O objetivo da cirurgia é restaurar um bom alinhamento do membro ou proteger um compartimento do joelho em relação à artrose secundária à sobrecarga desse compartimento. O lado de dentro do joelho é o compartimento medial e o lado de fora do joelho é o compartimento lateral. Geralmente isto levará a uma melhora da dor, da função e da mobilidade do paciente.
Quando a  osteotomia é indicada?
A artroscopia como método cirúrgico é ideal para reparar lesões intra-articulares, ou seja, dentro do joelho. Por isso, sua recomendação é feita nos casos de: lesões de ligamentos, meniscos, cartilagem e tendões, seja do joelho, ombro, quadril, tornozelo, puno ou pé. Além disso, a artroscopia também permite a realização de biópsia de estruturas intra-articulares sem agredir os tecidos ao redor.
Como é feito o procedimento? 
Antes da cirurgia o ortopedista avalia a alteração do eixo causadora do mau-alinhamento para saber quanto de correção deve ser realizada. A correção é realizada através de um “corte ósseo controlado” que alinha o membro para o eixo desejado. Ela pode ser realizada no fêmur, localizado acima do joelho ou na tíbia, que fica abaixo do joelho. A osteotomia objetiva formar uma cunha que pode ser adicionada (de adição) ou retirada (de subtração) do osso para corrigir a deformidade.
Por vezes faz-se necessário o uso de enxerto, podendo ser utilizados substitutos ósseos sintéticos ou enxerto ósseo do próprio paciente retirado de outro local (da crista ilíaca na bacia ou do próprio fêmur). A osteotomia é fixada com placa e parafusos especiais para garantir a estabilidade da correção até a cicatrização e consolidação óssea. Durante a técnica o ortopedista tem como cuidado proteger os nervos e vasos sanguíneos que passam próximos ao joelho.
Quais os cuidados após uma  osteotomia?
Até que ocorra a cicatrização e consolidação óssea da osteotomia, a descarga de peso deve ser protegida por meio de muletas, permitindo o apoio parcial do membro operado quando o paciente anda. Geralmente as muletas são usadas por 6 semanas. O abandono das mesmas ocorre de maneira progressiva à medida que vai diminuindo o desconforto do paciente ao apoiar a perna. O paciente deve ainda aderir às sessões de fisioterapia, fortalecer e equilibrar a musculatura. A cicatrização e consolidação completa da osteotomia se dá entre 6 a 12 semanas. Apesar da necessidade do uso prolongado de muletas no pós-operatório, a osteotomia, uma vez consolidada, permite a prática de atividades esportivas e de impacto, como corrida, saltos, entre outros.